Parei agora pra pensar em todas as coisa que deixei pra trás e que não queria ter deixado, em todos os sonhos que eu tive que se perderam. Em todas as pessoas que a vida deu um jeitinho de tirar da minha vida. Parei pra pensar também em toda a esperança que eu sempre tive e que hoje se resumem a nada. Não sei mais quais são meus sonho, se é que ainda tenho algum. Meus objetivos de vida quais são ? Não consigo me imaginar daqui há um ano, como eu serei daqui há 5 ? Ou daqui há 10 ? Uma pessoa qualquer com sonhos e esperanças roubados ou fracassados, sozinha olhando pro teto enquanto deseja que tudo fosse diferente ? E se for ? Sabia que esse era o meu maior medo quando eu sonhava em ser alguém bem sucedido ? Sabia que ainda tenho medo? Mas meu medo não é bem disso. Na verdade eu nem sei do que que é. Daqui há alguns meses me tornarei adulta. Mas adulta mesmo só na idade, é fato que poderei comprar bebidas, entrar em todas as baladas, e fazer todas as coisa malucas que eu sempre quis. Mas sabe o que vai acontecer ? Eu vou ficar em casa sentada na frente do computador levando essa vida ordinária até o inicio das aulas daquele curso técnico estupido que eu, por burrice, repeti de semestre. É o preço que se paga por ser tão acomodada. E com isso, todos os planos de uma vida nova que eu tinha para o próximo ano simplesmente foram por água à baixo, sem ao menos se despedir. Me sinto perdida, sozinha e sem esperança, tendo que ver séries pra preencher meu tempo e ocupar a minha mente, me fazer sentir algo. As vezes o fato de as coisas estarem em constante mudança me irrita, que coisa ! Por que nada pode ser do jeito que eu quero, que eu imagino? Por que nem por uma vez as coisas possam ser tão surpreendentes e perfeitas de um jeito que me faça bem por um longo período de tempo ? A minha vontade, é de chorar no travesseiro até dormir, coisa fácil né ? Qualquer um faz isso. Qualquer um menos eu. Não consigo porque tudo o que eu tinha se perdeu, e tá tudo tão vazio que eu nem sei no que pensar pra poder chorar a noite toda. Em tempos atrás essa junção de coisas me faria explodir em lágrimas ou em raiva de mim mesma, talvez alguns machucados na perna. Mas agora … nada, não sinto nada. E sentir nada é pior do que sentir tudo. Tudo é sempre a mesma coisa e nada tem importância, e até o que tem importância já não é mais grande coisa. Porra como isso é chato. Antigamente em uma situação dessas a minha maior vontade era de sumir, desaparecer por dias, viajar o mundo e só voltar quando alguém me acordar. Mas agora, agora eu não quero nada além de ficar aqui debaixo das cobertas concentrada no meu vazio, sozinha e com tédio. Mas as férias estão acabando, a rotina vai voltar. Vamos ver se o “nada” vai permanecer quando meu inferno pessoal voltar a surgir todos os dias de segunda à sexta até o meio do ano que vem.

Borboletas no estômago

e 2008Há um bom tempo não sinto as tais das “borboletas no estômago”, nem ao menos lembro da sensação de senti-las. Nada acontece, ninguém novo aparece, e as borboletas que em meu estômago dormem, não acordam por nada nem por ninguém. As vezes elas se mexem em seu sono profundo, dão uma agitadinha mas é só, nada demais.Ninguém me arranca um sorriso bobo só por chegar. Nada toma lugar dessa monotoniedade que está no meu coração e nem tira a atenção de meus pensamentos deprimentes. Pessoa nenhuma acorda as borboletas que não voam há séculos.Seria bom se não fosse chato,seria ótimo se não fosse sozinho.A verdade nua e crua é que ninguém me encanta a ponto de me deixar feliz com apenas um ‘oi’. E o que é a vida sem encantos? O que é o amor sem borboletas voando ?

-Thay

Dúvidas

tumblr_l7d6npj9P61qd5oxjo1_500Sei que meus últimos textos tem se focado apenas em  meu medo do futuro, de não ser boa o bastante para conquistar as coisas que quero para o próximo ano. Mas é invitável, pois é isso que anda rodeando a minha cabeça. Preciso de uma novo amor que ocupe espaço em minha mente e que acalme meus medos. Ou talvez eu precise de mais amor vindo de mim, mais confiança ou sei lá o quê.  Mas como é que faz isso ? Como é que  faz para engolir o próprio coração e se amar por dentro e por fora? Devíamos vir com um manual de como amar não só o próximo, mas a si mesmo também. Talvez essa coisa do manual seja referência de um texto que li há algumas horas, não importa. A autora conseguiu colocar em suas palavras aquilo que queria eu ter colocado mas não fui capaz. Mas por que é tão mais fácil amar alguém que não está nem ai pra você ou que nem se quer sabe da sua existência (no caso dos ídolos) do que a si mesmo ?  Por que as vezes é tão difícil se sentir bonita  ou inteligente o suficiente para passar no vestibular ?  Tantas perguntas com respostas que só posso encontrar amando a mim mesma.  Já disse algumas vez que detesto ter duvidas ?

-Thay

De nada sei

“Só sei que nada sei” Uma antiga e tão comum, e que se você não parar para pensar nela, talvez a mesma não faça sentido.  A verdade é que por mais conhecimento que eu tenha, nada sei. Nem quem sou, nem quero ser.  Não faço ideia do que irá acontecer após a próxima palavra que eu escrever. Quem dirá saber o que o destino me reserva para o próximo ano.  Esse medo de não ser o suficiente e ter que adiar o futuro ou talvez o sonho da minha vida. Essa ansiedade de querer saber se vai dá tudo certo. E a certeza de que por mais que eu planeje, pense ou imagine. Nada será do jeito que espero.  Odeio esperar. Detesto não ter certeza de nada.  E mais uma vez vem a tal frase fazendo sentido.  Se de nada sei, como detesto não ter certeza  ?  De que adianta tanto aprendizado da vida  se continuo sem saber ? Descobrir, aprender, gerar conhecimento sobre diversas coisas de diversas maneiras  e no fim do dia descobrir que não sei de nada. Só sei que um dia todos (sem exceções) iremos partir. Mas será que partimos mesmo? E se partimos, pra onde vamos? E se vamos, iremos voltar? Tá vendo, nem quando você morre sabe pra onde vai, quem dirá agora que estamos vivos. Cada minuto que passa uma coisa nova pode acontecer, ou simplesmente nada pode mudar. Mas uma coisa é certa, ou talvez errada. Afinal, nada sei .

– Thay

Ansiando a vitória.

OAAAAL-xTGDPtHjbqUIxzLHY_w3S-dHjq_qCIjbsAE-HNc70HJ2RS-532gA0zqef1qq9PrHxy7Ii58ni2taRP96jmb8Am1T1ULBZiynHcNBioVaDTsiH55cb0sZ9

Essa perca de tempo, essa falta de tempo me levam ao cansaço constante. Uma luta interminável pelo futuro. Um dia de paz e de preguiça são tudo o que a gente precisa. Mais nada. Um dia essa exaustão toda irá compensar, eu sei que vai. Afinal, que graça tem conseguir as coisas sem um pouquinho de esforço, sem aquele sentimento de “eu consegui”. Tô aqui me esforçando, esperando e ansiando a vitória final.


Medos.

5234926530_c7846b09b1_z_largeTudo é tão distante. Tenho medo, parece que no meio dessa superfície plana há emboscadas, buracos camuflados prontos para me atacar. Monstros escondidos, bruxas malignas. Medos tão bobos e tão incertos, prefiro os quando eu era apenas uma criança, um susto, escuro e bicho papão era a pior coisa que podiam existir, hoje é o tempo, e o futuro. Tão incerto como monstros e bruxas, mas dá medo igualmente. Assusta e aflige. Não gosto de coisas que não são concretas como o amor e o medo, você simplesmente não vê a intensidade com que eles te encurralam e te sufocam. Quero coisas certas, chega de medos, quero coragem. Quero amor certeiro e avassalador. Um amor bom que me faça bem. Essas madrugadas frias fazem minha cabeça girar pensando no incerto, no não concretizado, no futuro. Preciso de noites turbulentas e agitadas, uma bebida e amigos talvez façam minha insônia parar. Ainda serei livre, independente e com medo apenas do escuro. Mas até lá …. Bom, até lá a gente vê o que vai dá.

– Thay

tumblr_ljxf11JvV91qcl8j1o1_400_large

É tão estranho essa coisa de não tá apaixonada, de não está amando alguém. Parece tudo tão vago. Nas canções de amor já não sei mais em quem ou no que pensar quando as ouço. Me acostumei tanto á amar alguém que agora me sinto incompleta sem esse amor que fazia parte do meu dia a dia. Meu coração tá sem rumo, querendo loucamente alguém que o roube e o prenda. Aquele que amei por tanto tempo já não tem efeito sobre mim, ele devolveu meu coração e fez as feridas que nele estavam se curarem. Só não sabia que todo aquele amor,  iria me fazer falta. É chato não amar. É monótono e entediante não ter um alguém que com um simples “oi” te faça sorrir por um dia inteiro. Talvez, bem lá no fundinho, eu gostasse de toda aquela loucura que é o amor.

– Thay

Partiu

OgAAALojCOxKQh8mP0GZzMkc0hc98zfWjizE4k5NF0IX6pcTE9MJ0ZTpT-9xSr8FJvA67BQSJItbTUg_kNOYf98ipm0Am1T1ULbvexqpam9Rqr3A_FMV28COekc4Nessa correria toda, mal tenho tempo pra pensar, pra aproveitar ou simplesmente pra viver. Mas mesmo tendo todo tempo do mundo, tempo ainda vai me faltar. Sempre invadida por lembranças em momentos inoportunos. Uma hora a gente para pra pensar na vida. E em como chegamos até aqui, até essa etapa.

Esse ano me formo no ensino médio, e já tremo na base só de pensar em vestibular, enem, faculdade e todas essas coisas. Chegou a hora de correr atrás dos meus sonhos, e sair da estaca zero. Isso me dá um medo danado. Sou tão frustrada com pequenas coisas que as grandes como sonhos, me dão a sensação de que vou falhar e de que se nada der certo, nunca dará. Errado pensar assim eu sei, mas o que posso fazer ?

Mas a vida é  assim, o que posso fazer além de tentar  ? Continuar tentando é claro, sem nunca desisti. E decididamente, enfrentando cada obstáculo que aparecer fiz a escolha de continuar e nunca, jamais parar de sonhar. Não é hora de ter medo (por mais que eu tenha) é hora de enfrentá-lo e se jogar no mundão. Respiro fundo, partiu viver, partiu sonhar, partiu ser feliz.

– Thay

Crise dos 17.

189148_420868101313916_257848359_n_large

 Parece que foi ontem que eu tinha 13 anos e   me imaginava aos  dezessete. Hoje não vejo o que  mudou, minha imaginação  daquela época era bem mais  reconfortante, eu era bonita,  tinha amigos, vida social,  namorado e era ótima aluna.  Agora com 17 anos quase nada  mudou, e praticamente nada é  como imaginei. Continuo sendo a   mesma garota sem graça de quando tinha 13 anos. Ouve  mudanças, é claro. Mudei de ideias, de opiniões, de cabelo, e de filme favorito, comecei a ler e pintar as unhas. Pequenas mudanças que acontecem a cada troca de estação, talvez no próximo verão meu filme favorito mude ou eu pare de pintar as unhas. Quem sabe ? Sinto meu futuro cada vez mais próximo e isso não me agrada, muito pelo contrário. Me assusta. Esse ano será um dos mais difíceis,terei que tomar decisões que transformarão o resto da minha vida. Mas antes tenho que parar de reclamar da vida, fazer alguma coisa de útil além de ver seriados e dormir o dia todo, antes preciso superar a crise dos 17.

~Thay

Amor próprio.

Pensei que tinha me apaixonado de novo, mas vi que era       só fogo de palha. Pensei que amei mas era só ilusão.   Viajei, imaginei, sonhei tudo  sem sair do lugar. Aprendi a  me amar, a gostar mais de mim. E aprendi que não    importa o quanto eu ame certa pessoa. Eu sou mais  importante que ela. Pessoas vão e vem, mas quem tem que conviver comigo todas as 24 horas do dia sou eu mesmo. Gosto dessa nova fase, gostei dessa coisa de “amor próprio”. Talvez esse seja o único tipo de amor que dê certo na minha vida

~Thay